terça-feira, 23 de maio de 2017

Imperatriz da Rússia: Eva Stachniak

Livro lido para o projecto #Historiquices de Abril, dedicado a Catarina, a Grande

Imperatriz da Rússia (Catherine, #2)
Título: Imperatriz da Rússia (Catherine #2)
Autor: Eva Stachniak
Editora: Casa das Letras
Classificação: 2 Estrelas

Ficha do Goodreads aqui

Este é a continuação da duologia dedicada a Catarina, a Grande, iniciada com O Palácio de Inverno, o qual tinha gostado bastante.
Apesar de ter demorado mais de um ano para ler a continuação, tinha muitas expectativas mas que, infelizmente, não foram superadas.
Neste livro a narração é feita na primeira pessoa, pela própria Catarina, que nas suas últimas 36 horas de vida, vai recordando a sua vida. Dividida em quarto partes, ao longo destas horas, a consciência de Catarina vai alternado entre o presente e as suas recordações. Mas, uma ideia que teria potencial para me agradar, acabou, na verdade, por me aborrecer.
Talvez a "culpa" seja minha e das expectativas, pois julguei que neste livro iria acompanhar o reinado de Catarina, após se tornar Imperatriz. E eis, que logo na primeira parte, a autora quase que faz um resumo alargado dos acontecimentos do livro anterior.
A própria estrutura, onde temos apenas a divisão pelas quatro partes e não capítulos, não me agradou. Pois acabam por ser partes, especialmente a terceira, muito longas.
Também o tom da narração não me prendeu, e senti-me quase sempre perdida na linha de acontecimentos e baralhada com a quantidade de personagens que vamos conhecendo. Além disso, notei que a autora se preocupou mais em mostrar a vida afectiva de Catarina e os seus relacionamentos sexuais, do que propriamente as suas decisões políticas. É certo, que Catarina é muito conhecida por ter inúmeros amantes mas, também, foi uma figura muito importante para a Para mim, o único aspecto que "safou" o livro, e me fez dar duas estrelas e não uma, foi o posfácio, onde a autora nos relata, de forma breve, o que se passou após a morte de Catarina.
Um livro muito aborrecido!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

O que Viram as Flores: Julia Heaberlin

O Que Viram as Flores
Título: O que Viram as Flores
Autor: Julia Heaberlin
Editora: Bertrand Editora
Classificação: 4 Estrelas

Ficha do Goodreads aqui

Este foi um livro que captou a minha atenção logo pela capa e depois fiquei ainda mais curiosa quando li a sinopse.

A capa remete-nos logo para um dos pontos principais do livro, as flores Susana-de-olhos-negros e que nos remete para o crime no passado de Tessa.
Aos 16 anos, Tessa foi raptada e encontrada quase morta, junto a um corpo de outra rapariga e a outros esqueletos, e no meio das Susana-de-olhos-negros. Agora, quase 20 anos depois, Tessa sente-se ameaçada, apesar de ter existindo um julgamento e estar um homem preso, no corredor da morte.
A acção vai alternando entre capítulos presentes e passados, narrados pela própria Tessa, e onde vamos descobrindo mais sobre a sua vida e como o rapto a afectou. Tessa vive uma vida muito fechada, e tenta proteger ao máximo a sua filha, para que não lhe aconteça o mesmo que a si. É certo que ficamos sem saber em grande detalhe o que verdadeiramente aconteceu a Tessa, os horrores, mas conseguimos perceber o quanto a afectou.
Um ponto muito positivo é acompanharmos com detalhe a investigação forense, nomeadamente das análises aos ossos das vítimas que permitem recolha de ADN, e também saber onde cresceram.
Gosto muito deste tipo de estrutura, alternando capítulos, que nos vão mostrando, gradualmente, toda a situação, sempre com um clima de suspense. Mas também como a autora explorou a insegurança de Tessa em relação às suas memórias. A narrativa é algo lenta e, tal como já referi, não temos informação sobre o seu cativeiro, mas sim, como afectou física e, principalmente, psicologicamente, Tessa.
Quanto ao final e ao verdadeiro culpado, foi uma verdadeira surpresa.

Podem ver também o que falei sobre o livro, no vídeo de leituras da 1ª quinzena de Maio, a partir do minuto 13:54 , AQUI.


Nota: Este livro foi-me disponibilizado pela editora, em troca de uma opinião honesta.

sábado, 20 de maio de 2017

Apresentação de "Os 200 Melhores Percursos de Trekking de Portugal"

É já na próxima segunda-feira, dia 22, pelas 18h30, na Fnac Chiado, que teremos a apresentação de  "Os 200 Melhores Percursos de Trekking de Portugal" de Miguel Judas.
O livro será apresentado por Carlos Sá, o ultramaratonista português e vencedor da Badwater em 2013..


sexta-feira, 19 de maio de 2017

Demência: Célia Correia Loureiro

Demência
Título: Demência
Autor: Célia Correia Loureiro
Editora: Alfarroba
Classificação: 5 Estrelas

Ficha do Goodreads aqui


Este é o segundo livro de Célia Correia Loureiro que leio (comecei pelo último - Uma Mulher Respeitável) mas era um livro, tal como os restantes da autora, que tinha muita curiosidade, sendo que aproveitei que estava disponível na biblioteca para, finalmente, o ler.

Logo pelo título e pela sinopse percebemos que um dos assuntos abordados no livro é a perda de memória, neste caso é a personagem de Olímpia Vieira que começa a demonstrar sinais da Doença de Alzheimer. Para a ajudar, chega à aldeia, a sua nora viúva, Letícia, acompanhada pelas suas duas filhas, Luz e Maria.
Mas o livro aborda muito mais do que a Doença de Alzheimer e os seus cuidadores, temos também violência doméstica, as aparências e a incompreensão dos outros.
Célia Correia Loureiro consegue-nos transmitir todas as emoções, sentimentos e medos. Uma excelente caracterização do meio rural, de aldeia, aquela "mania" de se criticar/julgar os outros. De "pensarmos" que sabemos o que se passa entre quatro paredes. De julgar os outros pela sua aparência. Da, suposta, vida perfeita dos outros.
Também a estrutura que agradou, com saltos temporais, devidamente identificados e onde vamos descobrindo, aos poucos, o presente e passado das diferentes personagens, nomeadamente a vida de Letícia e Olímpia.
Este livro conquistou-me e tocou-me. Quer pela intensidade do enredo, com as histórias de vida de duas mulheres de diferentes gerações mas com pontos comuns. Mas também, pela beleza da escrita, que consegue retratar tão bem as emoções e caracterizar o meio envolvente.

Um livro intenso!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Maria Bolinhos: Catarina Duarte


Maria Bolinhos no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana
Título: Maria Bolinhos no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana
Autor: Catarina Duarte
Editora: Chiado Editora
Classificação: 4 Estrelas

Ficha do Goodreads aqui

Este é um livro infantil sobre uma princesa, cujos pais são os Reis da doçaria, nomeadamente da doçaria alentejana, mas, Maria Bolinhos, não sabe fazer bolos.
É um livro com uma edição muito cuidada. As folhas têm uma gramagem superior e acetinadas e todas as páginas têm ilustrações.
A história é simples mas engraçada e com ilustrações bem giras.


Nota: Este livro foi-me disponibilizado pela editora, em troca de uma opinião honesta.