domingo, 13 de fevereiro de 2011

A Rainha Branca - Philippa Gregory


A história do primeiro volume de uma nova trilogia notável desenrola-se em plena Guerra das Rosas, agitada por tumultos e intrigas. A Rainha Branca é a história de uma plebeia que ascende à realeza servindo-se da sua beleza, uma mulher que revela estar à altura das exigências da sua posição social e que luta tenazmente pelo sucesso da sua família, uma mulher cujos dois filhos estarão no centro de um mistério que há séculos intriga os historiadores: o desaparecimento dos dois príncipes, filhos de Eduardo IV, na Torre
________________________________________________________

Um dos meus géneros literários preferidos é o romance histórico, em que Philippa Gregory é uma das minhas autoras preferidas.

Assim, parti para esta leitura com muito entusiasmo, pois para além de ser um livro da Philippa Gregory, é sobre uma época sobre a qual não tenho grandes conhecimentos – A Guerra das Rosas ou A Guerra dos Primos.

Tenho que dizer que adorei o livro e apesar de ter demorado cerca de 3 semanas a ler, não teve nada a ver como livro em si, mas simplesmente pelo cansaço e por ter feito serão alguns dias.

Neste livro, acompanhamos a história de Isabel Woodville, uma plebeia viúva, que acaba por casar com Eduardo de Iorque, tornando-se assim em Rainha de Inglaterra.

Tal como é hábito, a autora apresenta-nos uma história cheia de intrigas, jogos políticos e ambições, misturada com a lenda de Melusina.

Fico ainda com mais curiosidade em ler o próximo volume desta trilogia – A Rainha Vermelha – cuja personagem principal é Margarida, a herdeira da casa de Lancaster – que será certamente uma das minhas próximas compras.

Sem comentários:

Publicar um comentário