sexta-feira, 21 de abril de 2017

A Filha de Testada: Rosaiah


A Filha de Testada
Título: A Filha de Testada
Autor: Rosaiah
Editora: Chiado Editora
Classificação: 1 Estrelas

Ficha do Goodreads aqui

Este livro foi-me enviado de surpresa pela Chiado Editora mas que não é o meu género de livro.

Narrado na primeira pessoa, conhecemos a história de vida da própria autora, que até aos três anos, viveu na Ilha de Testada, uma ilha situada na Ria de Aveiro. Rosinha não teve de todo uma vida fácil. Foi abandonada pelos pais, sendo depois criada por uma senhora que infelizmente também não lhe deu uma vida feliz.
Mas o meu grande problema com o livro é o tipo de "mensagem" e "espiritualidade" (à falta de melhor descrição). Rosaiah fala muito na sua alma, em reencarnações, seres de luz (ou algo assim) e, confesso, esta forma de vida, não é, de todo, o meu género e da qual me costumo manter afastada.
Para além do tema, o facto de ter ainda alguns erros ortográficos  também não ajudou.

Nota: Este livro foi-me disponibilizado pela editora, em troca de uma opinião honesta.

12 comentários:

  1. Obrigada pela crítica. De facto a autora deve ter tido uma vida difícil, mas o livro é uma tolice pegada e está mal escrito... não percebo como é que a Chiado edita um livro destes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O grande problema da Chiado é que, basicamente, desde que o autor pague, editam tudo -.-

      Eliminar
    2. Suponho que tenha pago pois, na sua maioria, na Chiado são os autores que pagam para editarem os livros.

      Eliminar
  2. Também li, fiquei de rastos, então a autora é divina? E fez-se pequena entre a humanidade ? Não estará com complexos bíblicos? O que é de espantar é que tal coisa seja publicada e ainda haja quem leve a sério, mal empregado dinheiro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se haverá muita gente a comprar o livro mas, realmente, para mim, não vale o dinheiro que custa.

      Eliminar
  3. Ainda por cima diz mentiras. Ela viveu no Bico da Murtosa, onde toda a gente a acarinhava e a tia Maria Pastora que a criou não poupou esforços nem sacrifícios. Mas a Rosinha morde a mão que lhe deu de comer e escreve "e a culminar tudo isto, viveu sempre submissa entre um povo que com desprezo e rejeição lhe chamava - a abandonada da ilha -". Ora nunca ninguém a desprezou nem rejeitou, antes pelo contrário, toda a gente a acarinhava e tinha pena dela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conheço a vida dela mas lá que achei que muita coisa era "difícil de engolir", lá isso achei.

      Eliminar
  4. também fiquei a chorar o dinheiro, mal-empregado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui, compraste o livro? Eu recebi da Chiado, sem o solicitar e li-o mas senti que desperdicei algumas horitas da minha vida.

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Foi daqueles momentos que se pudesses voltar atrás, não tinhas repetido ;)
      Mas sim, percebo o sentimento de dinheiro mal gasto

      Eliminar