quarta-feira, 7 de abril de 2010

A Corte dos Traidores - Robin Hobb


Os Seis Ducados estão mais vulneráveis do que nunca. Enquanto o príncipe herdeiro combate os Navios Vermelhos com a sua frota e a força do seu Talento, o rei Sagaz enfraquece a cada dia com uma misteriosa doença e bandos de Forjados dirigem-se para Torre do Cervo matando todos pelo caminho.
Mais uma vez, Fitz é chamado para servir como assassino real. Mas o jovem esconde outro segredo: ninguém pode saber que formou um vínculo com um jovem lobo através da magia proibida da Manha e, se for descoberto, arrisca-se a uma sentença de morte.
Quando o príncipe herdeiro embarca numa perigosa missão para pôr fim à ameaça dos Navios Vermelhos, a corte é entregue nas mãos do príncipe Majestoso que tem os seus próprios planos maquiavélicos para o reino. Cabe ao jovem bastardo proteger o verdadeiro rei numa corte prestes a revelar a face dos traidores num clímax memorável.
_____________________________________________________________________________

Este terceiro livro em português , foi para mim o melhor da saga até ao momento. Um livro cheio de intrigas e acção, em que os acontecimentos se vão sucedendo uns atrás dos outros, quase ao nível de George Martin com os livros "A Tormenta de Espadas" e "A Glória dos Traidores :)
Neste volume, e com tantos ataques dos navios vermelhos, Veracidade parte em busca dos Antigos, deixando Fitz na Torre do Cervo para proteger o Rei Sagaz e a Rainha Expectante Kettricken. Mas Majestoso mostra-se cada vez mais sedento de poder, e faz tudo por tudo para atingir os seus objectivos, mas Fitz tenta proteger o seu rei e Kettricken, com a ajuda de Breu e Castro. Será que Fitz consegue ser bem sucedido na sua missão? Leiam a saga e vejam o tão electrizante é este livro.
Os últimos capítulos são de nos deixar quase sem fôlego de tanta acção. O único senão, é que finda a leitura do próximo livro "A Vingança do Assassino" (que pelo título sugere que vamos ter um livro igualmente bom), o último livro da saga só vai sair em Junho/Julho (não me recordo do mês exacto)… No entanto, sempre é uma espera bem mais pequena da do Martin, que não há maneira de acabar o "Dance with the Dragoon".

Sem comentários:

Publicar um comentário