quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Sacerdotisa dos Penhascos - Sandra Carvalho


Os Guardiães das Lágrimas do Sol e da Lua vivem finalmente em plena união. Dos seus amores nasceram Halvard e Kelda, os gémeos sobre quem pairam profecias grandiosas e temíveis. Halvard está nas mãos de Sigarr, o Mestre da Arte Obscura, que espera treiná-lo para ser o Guardião do Conhecimento Absoluto, e usar o imenso poder deste em seu proveito.
Kelda, no topo da mais alta fraga da Ilha dos Penhascos, entrega o seu corpo dorido e espírito destroçado à violência da tempestade, enquanto as palavras da sua melhor amiga Oriana qual maldição : «Hás-de acabar sozinha e devorada pelo mal como o teu irmão!»
Como poderá lutar contra as forças negras do destino, se todos aqueles que ama lhe viram as costas? Será capaz de provar que os pais estavam enganados acerca da sua índole perversa? E resgatar Halvard do jugo dos Feiticeiros, cumprir os desígnios da Pedra do Tempo e salvar a sua própria alma? Ou está condenada a ceder ao apelo da Arte Obscura que pulsa no seu sangue e tomba ao abismo?
__________________________________________________________________________

Kelda é filha dos Guardiões da Lágrima do Sol e da Lua, que após o rapto do seu irmão gémeo Halvard por Sigarr, é enviado para a Ilha dos Penhascos. No entanto Kelda é vista como irresponsável, temperamental e rebelde, em que como não demonstra o seu poder, sente-se um pouco excluída.
No entanto, o poder de Kelda é muito superior ao que todos os outros julgavam e esta tem que aprender a lidar com ele.
Foi um livro que me prendeu do início ao fim, e em que relembrei muitas vezes Catelyn, pois nos livros em que Edwina foi a principal personagem, nunca me senti tão cativada como com Catelyn, no entanto, a personagem de Kelda conseguiu esse proximidade.
Um livro bastante importante na saga, onde para além de conhecermos novas personagens que sem dúvida serão muito importantes no desfecho, desconfio que para além de Kelda, teremos Lysander, Thorson e Erebus como pontos focais, também nos são apresentados outra face da personalidade de personagens, que nos surpreendem, como é o caso de Trygve.
O livro tem também uma forte carga emocional, mas que me agradou bastante e que faz ficar muito curiosa em relação ao último volume. E também nos permite rever personagens que julgávamos não voltar a ver, e este aspecto foi uma agradável surpresa. Qual o futuro de algumas personagens? Acredito que um determinado casalinho fique junto ;-)
A minha única crítica menos boa é o facto de não existir uma árvore genealógica nos livros, incluindo as personagens deste novo volume, pois houve uma ou outra altura que fiquei baralhada.
Para quem acompanha a saga este é um volume a não perder, cheio de emoções e com um final que nos faz ansiar por termos o último volume nas nossas mãos, para o "devorar".

Sem comentários:

Publicar um comentário