domingo, 24 de maio de 2020

[Opinião] A Célula Adormecida de Nuno Nepomuceno


A Célula Adormecida
Título: A Célula Adormecida
Autor: Nuno Nepomuceno
Editora: Cultura Editora
Classificação: 5 Estrelas


Ficha do Goodreads aqui
Comprar na WOOK | BERTRAND (links de afiliado)

Se em 2016 "devorei" a primeira edição (podem ler e ver o meu vídeo AQUI), o que dizer desta nova re-edição? Comecei a lê-lo na 3ª feira à noite, dia 19, e na noite seguinte, dia 20, terminei-o, contabilizando as horas devo ter lido o livro num total de cerca 5h30. Sim, eu sei, sou uma papa-livros =D

Apesar de ter sido uma releitura, e de me recordar dos contornos gerais e de alguns acontecimentos marcantes, a verdade é que, também havia montes de pormenores que já não me lembrava e, por isso, foi muito bom voltar a conhecer o professor Afonso Catalão.

Na mesma noite, temos um ataque a um autocarro no centro de Lisboa e que foi reivindicado pelo auto-proclamado Estado Islâmico; e vencedor das eleições para Primeiro-Ministro é encontrado morto. 
O ataque terá sido um acto isolado ou a preparação para algo maior? Será que terá mesmo sido levado a cabo pelo auto-proclamado Estado Islâmico? E quanto à morte do futuro Primeiro-Ministro, terá sido suicídio ou assassinato? Tudo aponta para suicido mas a sua esposa discorda. E estarão os dois acontecimentos relacionados?
Estas são apenas algumas das questões que são abordadas ao longo da narrativa.

Afonso Catalão, professor universitário e especialista em Ciência Política e Estudos Orientais, acaba por se ver envolvido na investigação e tem um passado cheio de segredos. Também a jornalista Diana Santos Silva, começa a investigar os dois acontecimentos e cruzar-se com o nosso professor Catalão.
Temos ainda uma família muçulmana, onde vamos conhecendo quer as dificuldades que enfrentaram como refugiados, mas também a adaptação social a um país com costumes diferentes. 
Mas não pensem que o Nuno se limita apenas a Lisboa, não, nada disso. Viajamos também até Istambul e também vamos até ao passado, quer de Afonso mas também de outros personagens.
Quatro anos depois da primeira edição, os temas continuam ainda muito actuais. O drama dos refugiados, terromismo, vingança, preconceito e intolerância.
Com uma escrita directa, uma narrativa muito interessante, cheia de segredos a desvendar, e os capítulos curtos, tornam a leitura muito rápida. 
Esta nova edição, além da fantástica capa, traz ainda um final alternativo, que serve de ponte ao livro Pecados Santos, bem como um conto inédito, escrito pela Sarita e é lindo.
Se já recomendava antes, volto a recomendar ainda mais =D

Livro lido para o meu projecto #Lusiteratura


Nota: Este livro foi-me disponibilizado pela editora, em troca de uma opinião honesta.

Sem comentários:

Publicar um comentário